DIREITOS AUTORAIS

Algumas imagens que aparecem no blog são retiradas de sites externos. Se você possui os direitos de alguma dela e não quer que apareça neste blog, favor entre em contato, que prontamente será retirada. (Brena Braz)

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

PERLA EM DOURADOS

A cantora Perla fará show baile neste final de semana em Dourados, a partir das 22h, no salão nobre do clube Indaiá. Perla, nome artístico de Ermelinda Pedroso Rodríguez D’Almeida, é considerada uma cantora paraguaia-brasileira. Nascida e criada no Paraguai, ela se mudou para o Brasil bem jovem em busca de oportunidades e desafios. Ao longo de sua carreira, vendeu mais de 15 milhões de álbuns, Ganhou 11 discos de ouro, dois de platina, um de platina duplo, entre outras premiações.

PERLA
Divulgação // Dani Coen

Oriunda de família de músicos paraguaios, a cantora fazia parte do grupo “Las Maravillas del Paraguay” com o pai e os irmãos. No início da década de 1970, devido a uma relação amorosa, deixou o grupo e foi para o Brasil, fixando-se depois na cidade paulista de Santos.

Chegando o Rio, na década de 1970, começou a se apresentar em casas noturnas, como “O Bigode do Meu Tio” em Vila Isabel. Seu repertório consiste basicamente em versões. Começou a fazer sucesso em meados da década de 1970, conquistando grande aceitação entre o público popular. Seu repertório é composto de tendências que vão das guarânias e boleros a versões de músicas pertencentes ao mundo pop, ficando conhecida como cantora romântica.

Gravou várias versões de músicas do conjunto sueco ABBA. Nessa fase, o seu maior sucesso foi a versão que ela fez para “Fernando”, em 1976, incluída no LP “Palavras de amor”. Em 1979, lançou um LP no qual as músicas apresentavam arranjos da disco-music, em voga na época, destacando-se uma versão para “Love’s in the Air”. Fez também versões para canções italianas e norte-americanas.

Ao longo das décadas de 1980 e 1990, manteve-se ativa, se apresentando em shows e programas, além de gravar alguns discos independentes financiados pelo seu fã-clube. Desse período, destaca-se o sucesso “Pequenina”, versão de Chiquitita. Perla lançou em 1999 o CD “Especialmente para você”. Em maio de 2002, lançou o disco “Perla canta ABBA e outros hits”, elaborado a partir de uma compilação de sucessos da cantora, feita pelo pesquisador Rodrigo Faour.

A festa de lançamento foi realizada na boate gay Le Boy, em Copacabana, no Rio de Janeiro. A escolha do local privilegia um dos segmentos do público da cantora, que a reconhece como linda diva.

SERVIÇO
QUANDO: sábado, 17/09/2016, a partir das 22h00;
ONDE: Salão Nobre do Clube Indaiá (R. Indaiá - Alto de Indaiá)
QUANTO: As mesas custam R$ 600 para os sócios do clube e R$ 720 para não sócios.
INFORMAÇÕES: (67) 9-9288-1667 e (67) 9-9820-2161
CLASSIFICAÇÃO: NÃO INFORMADA PELA ORGANIZAÇÃO

segunda-feira, 25 de julho de 2016

CHÁ COM DRAMA APRESENTA "AS TRÊS IRMÃS", DE ANTON TCHEKHOV NESTE SÁBADO EM DOURADOS

Para os apreciadores do teatro a UFGD abre a terceira apresentação do projeto de extensão Chá com Drama


DOURADOS-MS: Acadêmicos e professores de Artes Cênicas convidam para a leitura dramática do texto teatral As três irmãs, de Anton Tchekhov que será realizada neste final de semana a partir das 19 horas, no Espaço Cultural Casulo. A entrada é de graça.

Divulgação
Para a coordenadora do projeto, Ariane Guerra, o objetivo é estimular a leitura e o conhecimento de dramaturgos clássicos como Shakespeare, Moliere, Tchekhov, Nelson Rodrigues entre outros e, colocar o aluno de teatro em contato direto com o público.

O projeto Chá com Drama começou em dezembro de 2015 e em sua primeira edição foram feitas leituras abertas ao público nos meses de dezembro e fevereiro.
Divulgação

Nesta nova edição conta-se com 20 pessoas participando dos encontros para leitura do texto. Segundo Ariane, o projeto não visa lucro financeiro e para que ele seja mais bem estruturado é solicitada a frequência dos participantes e em contra partida é ofertado certificados no final da edição.

Ariane, afirma que é um encontro da arte, onde os participantes tomam chá e leem um bom texto “Eu coordeno o projeto e a professora Júnia Pereira e a vice-coordenadora e é um projeto sem ônus pra universidade”, disse ela.

SERVIÇO
QUANDO: 30 de julho de 2016
LOCAL: Espaço Cultural Casulo –Rua Reinaldo Bianchi, 398 – Parque Alvorada
ENTRADA: Gratuita
CLASSIFICAÇÃO: Livre
INFORMAÇÕES: (67) 9870-0269

segunda-feira, 18 de julho de 2016

3º FESTIVAL DOURADENSE DE MÚSICA COMEÇA NESTA SEXTA NO TEATRO MUNICIPAL

DOURADOS-MS: Com o objetivo de incentivar as atividades culturais sul-mato-grossenses, o 3º Festival Douradense de Música (FESDOM) começa nesta sexta-feira, 22. O evento promove o fortalecimento dos movimentos musicais existentes no Mato Grosso do Sul, e dá oportunidade aos músicos, educadores musicais e estudantes de música de todo o Estado para trocarem experiências e saberes. 


Haverá participação ativa do público em apresentações, ensaios e concertos didáticos. Nesta edição, o evento contará com várias oficinas, concertos e intervenções musicais realizados em espaços públicos e no Teatro Municipal de Dourados. Toda a programação do evento é gratuita e aberta à comunidade de Dourados e região.

OFICINAS
As inscrições estão abertas para as oficinas nas áreas de percussão sinfônica, cordas friccionadas, sopros madeira, sopros metais, além de regência e educação musical. Um dos principais destaques será a masterclass de piano com a professora Cinthia Ruivo. As inscrições podem ser feitas pelo site www.fesdom.com e vão até o dia 22 de julho.

SERVIÇO
QUANDO: 22 a 30 de julho no Teatro Municipal
REALIZAÇÃO: Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), por meio da sua Coordenadoria de Cultura da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura.
ENTRADA: Gratuita
CLASSIFICAÇÃ: Livre
INFORMAÇÕES: (67) 3410-2869 ou na Coordenadoria de Cultura da UFGD, Rua João Rosa Góes, 1761, Vila Progresso e pelo e-mail: fesdomusica@gmail.com

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

O CURSO DE ARTES CÊNICAS DA UEMS APRESENTA ZOOLÓGICO DE VIDRO EM FEVEREIRO

Itaporã (MS) - O curso de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) apresenta espetáculo O Zoológico de Vidro, de Tennessee Williams. A peça será encenada nos dias 27 e 28 de fevereiro, sábado e domingo, às 20h, no Teatro Aracy Balabanian. A entrada é gratuita.
 
Foto: Divulgação
O espetáculo é dirigido pelo professor do curso Marcus Villa Góis e conta com a participação dos atores Marcos Gautto, Glaucia Pires, Clara Mendes e Yuri Tavares.

O Zoológico de Vidro conta a história de Laura Wingfield que tem uma deficiência na perna que a deixou muito tímida. Sua mãe, Amanda Wingfield, ao descobrir que sua filha abandonou os estudos, resolve arrumar um pretendente para ela. O irmão de Laura consegue levar para casa um amigo, pretendente para sua irmã: Jin O’cconor, um jovem que acredita no futuro da televisão.

“Trabalhamos com duas frentes de trabalho. Em uma perspectiva coletiva considera a inclusão social um elemento preponderante. Sem ser panfletário, sem reivindicar nada, sem considerar um opressor externo, busca retratar de maneira verossímil (e aí já estamos entrando na segunda frente de trabalho: a estética) as subjetividades de uma personagem que sempre sentiu-se inferior aos outros por causa de um problema locomoção. Laura tem uma perna levemente maior que a outra o que levou-a a usar um aparelho ortopédico por muito anos. Nos dois dias em que se passa a história, Laura já se livrou do aparelho, mas as consequências psicológicas foram profundas em sua personalidade e comportamento”, explica o professor Marcus Villa Góis.

O espetáculo conta com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (SCTEI) e da FM 104.7. A peça tem classificação de 12 anos.

Comunicação UEMS

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

DOURADOS TEM CONTAÇÃO "A ARARA E O GUARANÁ" NESTA SEMANA

Hoje e quarta-feira  tem contação de história no Sesc Dourados, com início às 19 horas e aberta ao público.

“A arara e o guaraná”, conta a história de uma arara que adorava guaraná porque a fruta é vermelha, que nem ela. Mas não queria ver ninguém comendo sua frutinha e resolveu esconder todo o guaraná que encontrasse pela mata.

Uma divertida história ecológica e bem brasileira. Com propósito de trabalhar o lúdico, a percepção oral, a memorização, a criança recebe e participa das histórias de maneira alegre e descontraída.

As histórias infantis têm papel fundamental na formação do indivíduo tornando-o criativo, crítico e capaz de tomar decisões e com possibilidades infinitamente maiores de se tornar um leitor assíduo, além de ser um instrumento de diversão garantida para as crianças e adultos de todas as idades, como a arte de contar histórias vem provando ao longo dos milênios de sua existência.

Serviço – O Sesc Dourados está localizado na Rua Toshinobu Katayama, 178 – Centro. Mais informações podem ser obtidas no telefone (67) 3410-0700.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

COLORIR PAPEL

O que escrever. Estou há horas com uma folha em branco. A pergunta que não quer calar: o que escrever? Como escrever? As palavras não se juntam, não sem completam, só há uma folha em branco, não é fácil, é estranho, não saber o que escrever. Por que as palavras somem? Já sei, você vai dizer, escreva sobre o amor, sobre o nada. Mas o que é o nada?

Na infância meus professores diziam, faça uma redação do que você está pensando, sempre me dei mal, por que nunca estava pensando em nada. Só tinha uma folha em branco a minha frente. Hoje leio lindos textos e não sei como flui para as pessoas, eu só sei que tenho uma folha em branco.

Com essa história de redes sociais, no qual devemos ser sucinto. Os jovens tem horror ao ler um textão, mas de que adianta querer um textão se não passo do primeiro parágrafo? De que adianta tentar prender alguém no meu texto, se nem sei o que escrever?

Tem gente que escreve sobre o dia de trabalho, sobre um passeio, sobre a comida do almoço. Eu? Eu continuo a perguntar: o que escrever? A minha folha continua em branco. Sem um passado. Sem um futuro. Apenas uma folha em branco. Alguém me ajuda a colorir essa folha? Nem que seja colocar o preto no branco.